Lojas descoladas em São Paulo / BEDA 25

Fazendo viagens para São Paulo, acabei comprando diversas vezes em 3 lojas que considero descoladissimas. Dignas de serem compartilhadas e, o melhor de tudo é que duas delas vendem virtualmente. Let’s go!

>>> Fock Store 

fock store - letras e costuras .jpg

Inúmeras opções de camisetas de bandas, acessórios, pares de óculos, cases etc.Também possuem modelos para nenens! Minha camiseta favorita do Bob Dylan comprei nessa loja. O atendimento também é nota 10!

Endereços:

– Rua Augusta 2.612 A – São Paulo

– Galeria Ouro Fino, Rua Augusta 2.690 Loja 111 – São Paulo

Site // Facebook // Instagram

>>> Laundry 

laundry - letras e costuras.jpg

Camisetas, vestidos, sapatos, pares de óculos, acessórios, itens de porcelana etc. Já comprei cada vestido com estampa bem maravilhosa na Laundry! O ambiente da loja é uma gracinha com uma pitada bem retrô.

Endereço:

Rua Alameda Tietê, 168 – São Paulo

Site // Facebook // Instagram

>>> Clube Vintage

clube vintage - letras e costuras.jpg

É uma loja colaborativa, ou seja, podemos encontrar inúmeras marcas. Várias camisetas, almofadas, sapatos, coisas para casa etc. O mais legal é que agora estão com uma barbearia dentro da loja, achei digno.

Endereço:

– Rua Augusta 2.664 – São Paulo

Site Não Disponível // Facebook // Instagram

Obrigada por acompanhar!

Editorial: Elle Fanning por Angelo Pennetta / BEDA 24

elle fanning - letras e costuras 1.jpg

Elle Fanning vem conquistando o seu espaço e deixando de ser lembrada apenas como a irmã mais nova da Dakota Fanning. Chamou a minha atenção desde o filme Malévola (2014) e,  em breve poderemos assistir “The Neon Demon”, um thriller onde interpreta uma modelo de 16 anos.

Lembrei desse editorial realizado por Angelo Pennetta, publicado na Vogue UK em 2014. Uma gracinha!

elle fanning - letras e costuras 2.jpg

elle fanning - letras e costuras 3.jpg

elle fanning - letras e costuras 4.jpg

Obrigada por acompanhar!

 

Bullet Journal / BEDA 23

bullet 1.jpg

Diversas pessoas estão adotando o bullet journal para a sua organização na vida profissional e/ou particular. Esse rapid logging foi desenvolvido pelo designer de produto digital Ryder Carroll, que busca “rastrear o passado, organizar o presente e se preparar para o futuro”.

Quem nunca perdeu um dos diversos caderninhos ou até mesmo nem chegou a usar a metade das folhas? Com o método bullet journal fica tudo organizado em listas diárias, ajeitado com as suas necessidades. Seu dia fica organizado e você vai revisar com frequência de forma rápida.

bulletttttttttttttt.jpg

Para iniciar o método é necessário ter um caderno. Pode ser modelo com pauta, sem pauta e quadriculado (que são os mais utilizados). Na primeira página coloca INDEX e, escreve o nome do mês que está começando. Numere as páginas do bullet journal como se fosse um livro, daí no INDEX você coloca do lado do mês o número da página que ele começou.

No FUTURE LOG separe algumas linhas para as datas mais importantes, eventos que já estão marcados com muita antecedência, feriados. Em outra página se faz o MONTHLY LOG, onde anota todas as datas de um mês e acontecimentos importantes, por exemplo, T 23 reunião com o designer.  No DAILY LOG são as tarefas do dia específico.

Carroll criou um sistema universal para ser utilizado na lista:

 •  significa uma tarefa para fazer;

  uma tarefa que foi terminada;

 >  tarefa mudou de data;

 <  ganhou um outro dia e horário;

  um evento;

–  uma nota, observação ou pensamento.

bullet.jpg

bullet 2

bulletttt.jpg

Você usa ou tem vontade de usar Bullet Journal? Obrigada por acompanhar! 

A Calça no Vestuário Feminino / BEDA 22

amelia bloomer.jpg

Em 1950, Amelia Bloomer tentou que a calça comprida fosse aceita para as mulheres. Escrevia para o seu jornal feminista The Lily, dando sugestões de outro vestuário para as mulheres com calças bufantes, adornos de seda, chapéu de aba larga.  Foi alvo de zombarias na época, os cartunistas representavam nas suas obras isso como algo perigoso.

“O traje da mulher deveria … contribuir para sua saúde, conforto e serventia … deveria tornar (sua ornamentação pessoal) de importância secundária.” Amelia Bloomer 

poiret e chanel.jpg

Paul Poiret, em 1925, criou o primeiro conjunto de calça e jaqueta, mas não obteve um bom resultado. Alguns anos depois, Coco Chanel foi flagrada usando calças na praia e depois adicionou  na sua coleção o “pijama  casual” ou “pijama de praia”.

A atriz Marlene Dietrich, atuou no filme O Anjo Azul (1930) do diretor Josef von Sternberg. Seu personagem é uma cantora de cabaré e usou cartola, smoking, meias pretas e colarinho alto. Repetiu o estilo da personagem em outros filmes, utilizava trajes masculinos também em publicidade e na vida particular.

marlene maravilhosa.jpg

Obrigada por acompanhar!

Decor: Home Office / BEDA 21

Home.jpg

As pessoas que trabalham em casa podem ser autônomas ou possuir contrato com uma empresa. Quem nunca passou por essa experiência pode achar que o trabalho é mais fácil, sem horário definido. Mas exige disciplina, às vezes se passa mais horas trabalhando e, necessário ter um espaço para realizar o expediente.

O conceito do Home Office é de que o trabalho se realiza em outros locais que possuem a infraestrutura do ambiente doméstico (home) e office (escritório). Quando monta o ambiente de trabalho deve-se pensar na mesa, equipamentos eletrônicos, itens de papelaria.

Para o trabalho fluir é necessário montar o seu horário para não perder a noção do tempo, manter o ambiente organizado para evitar possíveis distrações, ter uma boa iluminação. Trabalhando em casa possui as vantagens de liberdade profissional, redução de gastos, conforto, arrumar o ambiente do jeito que você desejar, menos stress, privacidade.

>> No site do SEBRAE você pode ter mais informações de como montar um home office.

Que tal inspirações para montar ou modificar o seu home office? Let’s go!

home 2.jpg

HOME 7

home 4.jpg

HOME 5

home 3

Obrigada por acompanhar!

Jeans: Bocas de Sino / BEDA 20

boca de sino - capa - letras e costuras.jpg

O jeans se popularizou entre os jovens na década de 60 e no finalzinho dela as bocas das calças começaram a abrir. Modelo é conhecido como Boca de Sino ou Calça Flare, se tornaram um sucesso completo durante a década de 70.

Alguns grupos estilo da época cortavam a lateral da calça e colocavam retalhos de tecidos na parte externa do jeans, criando assim a boca de sino. As marcas de jeans perceberam a novidade e começaram a criar os seus próprios modelos.

calça boca de sino - letras e costuras.jpg

A calça era sucesso garantido na época da discoteca, pois ajudava as pessoas a terem mais movimentos durante as danças. Foi usada em demasia por diversos artistas como Cherrie Currie, Elvis Presley, Joan Jett, Robert Plant, Farrah Fawcett, Jimi Hendrix etc.

Quem nunca escutou ou leu por aí alguém dizendo que a boca de sino é relembrada como peça hit dos hippies? Demais! Quem deseja adquirir um modelo encontra com bastante facilidade, principalmente em lojas de departamentos.

marcas - bocas de sino - letras e costuras 1

Levi’s Strauss & Co, Lee, Maverick Jeans e Falmer são alguns exemplos de marcas que apostaram na calça boca de sino naquela época. Em determinadas campanhas, apresentavam uma imagem de estilo bem cowboy, utilizando a calça boca de sino. A Levi’s já apresentava uma campanha mais para os jovens.

marcas boca de sino - letras e costuras

Fotos: Divulgação

Acho bastante descolado, você também gosta? Obrigada por acompanhar! 

O Mistério da Elegância (Nelson Rodrigues) / BEDA 19

nelson rodrigues - editora agir.jpg

Quero pedir licença para colocar uma parte de um texto maravilhoso, do jornalista e escritor Nelson Rodrigues. Gostei bastante de todas as obras que já li dele e, espero um dia ler todas. O Mistério da Elegância completo está no livro O Reacionário – Memórias e Confissões, da Editora Agir.

>>> O Mistério da Elegância

A verdadeira grã-fina tem de ser a antigrã-fina. Dirão vocês que estou fazendo um reles jogo de palavras. Deixem-me porém continuar. A partir do momento em que identificamos a grã-fina como tal – já deixou de ser grã-fina ou por outra: – jamais teve nada a ver com o grã-finismo.

Se acontece assim com as mulheres, também com os homens e, repito, também com os homens. Há sujeitos que põem na testa a manchete em oito colunas: – “Eu sou grã-fino.” Realmente grã-fino seria se, em vez do Antonino, fosse almoçar numa casa de pasto, ali, atrás da Quinta da Boa Vista. E, então, o gerente dizia, atrás da registradora, com um bárbaro sotaque luso: “Conheço aquele gajo do falecido Proust.” E estaria anunciando uma dessas verdades totais.

É o que sucede com o elegante. Claro que o elegante não precisa ser, obrigatoriamente, grã-fino. Se isso parece óbvio, direi que o óbvio também é filho de Deus. Vou lhes contar agora um pequeno e luminoso episódio. Vamos lá. Há uns dez anos, ou por aí, havia, em Madri, um diplomata cinquentão que era uma figura curiosíssima. Mas vejam: – curiosíssima sem que se soubesse por que curiosíssima.

Quando passava, era muito olhado. E olhado com um misterioso prazer visual. As pessoas perguntavam, umas às outras: – “Por que será que eu gosto tanto de olhar o inglês?” Era bonito? Não era bonito. Simpático? Nem isso. Feio? Também não. A rigor, não tinha, com os demais, nenhuma forte dessemelhança que justificasse uma curiosidade assim obsessiva.

Até que, um dia, fizeram uma enquete na Europa, para saber qual era o mais elegante europeu do século. A revista, autora da enquete, ouviu figuras de todas as classes e profissões. Costureiros, poetas, artistas, mímicos, princesas, veterinários e domadores. Para que vocês tenham uma idéia do inquérito, direi que até a Greta Garbo opinou. E uma unanimidade compacta consagrou, como o europeu mais elegante do século, o singularíssimo inglês de Madri. Todos os madrileños o olhavam, e não sabiam por que o olhavam. Estava desfeito o mistério: – era a elegância.

Madri inteira percebeu então o seguinte: – a elegância é invisível. Causa um prazer, cuja origem escapa à nossa percepção. Vejam agora a reação do eleito. Ao saber que fora consagrado como o europeu mais elegante, fez um escândalo. Antigamente, usava-se muito a expressão debulhou-se em lágrimas. Pois foi o que fez o homem: debulhar-se em lágrimas. A reportagem não entendeu coisíssima nenhuma. Chorando, ele saiu de casa, atravessou o fio e continuou chorando. Os repórteres perguntaram, aflitos: – “Mas o que é que houve, Sir Fulano de Tal?” Ele explicou: – “Se descobrirem que eu sou elegante, já não sou mais nada!”

Sua elegância deixara de existir, a partir do momento em que perdera a invisibilidade…

Já leu alguma obra do Nelson? Obrigada por acompanhar!

Make: Iluminador / BEDA 18

iluminador letras e costuras.jpg

O iluminador proporciona um brilho na maquiagem e realça os traços. Pode-se usar de dia e de noite, apenas aplicar com moderação para a pele não ficar com uma aparência exagerada. No mercado existem opções em pó (deve ser o mais usado), caneta e creme.

As áreas mais comuns de aplicar o iluminador são acima das maçãs do rosto, no nariz, V na parte superior dos lábios (arco do cupido), na testa, canto interno dos olhos, zona abaixo das sobrancelhas. O iluminador pode se “encontrar” com o blush na pele, não tem problema nenhumse por acaso um ficar por por cima do outro.

Dicas de iluminadores:

iluminadores.jpg

High Beam Benift na Sephora

2 Soft and Gentle MAC na Sephora

Cindy Lou Manizer The Balm nas Americanas

4 Orgasm NARS na Sephora

5 Clarex Quem disse, Berenice? na Quem disse, Berenice?

 

Qual a marca do seu iluminador favorito? Obrigada por acompanhar!

5 filmes do Hitchcock / BEDA 17

alfred

O cineasta britânico Alfred Hitchcock (1889 – 1980) é conhecido como o mestre do suspense.  Com certeza (espero) você deve conhecer ou já ter ouvido falar de Psicose (1960), o filme é considerado sua maior obra-prima. Mas que tal descobrir outros filmes incríveis desse mito? Let’s go!

ladrão 1.jpg

Ladrão de Casaca (To Catch a Thief – 1955):  John Robie (Cary Grant) é um ex-ladrão de jóias conhecido como Gato. Na Riviera Francesa, um ladrão está usando o seu antigo estilo e vai até lá para desmascarar quem está imitando seu jeito de roubar. Porém, envolve no plano a lindíssima Frances Stevens (Grace Kelly). É maravilhoso e, na minha opinião, Grace Kelly está mais linda do que nunca nesse filme.

quando fala o coração.jpg

Quando Fala o Coração (Spellbound – 1954): Doutora Constance Petersen (Ingrid Bergman) trabalha em uma clínica para doentes mentais, onde a direção vai mudar para o Doutor Edward (Gregory Peck) que possui comportamento suspeito. Constance vai descobrir coisas sobre Edward e fica um mistério sobre se ele matou ou não um homem. A história aborda psicanálise, um sonho foi idealizado pelo Salvador Dalí e, sem dúvida que é o meu filme favorito do diretor.❤

os passaros.jpg

Os Pássaros (The Birds – 1963): Mitch Brenner (Rod Taylor) é atendido em uma loja de aves sem querer por Melanie Daniels (Tippi Hedren). Ela vai atrás dele na cidade onde reside sua mãe e irmã. Vai ter romance? Bom, os pássaros da cidade começam atacar os moradores e vira um baita terror psicológico. Queria destacar o final como é diferente, mas vou deixar para você assistir e ficar impressionado!

chantagem e confissão.jpg

Chantagem e Confissão (Blackmail – 1929): Alice White (Anny Ondra) encontra secretamente um pintor, na casa dele tenta estuprá-la e acaba o matando para se defender. O seu namorado Frank Webber (John Longden) é policial e vai investigar o assassinato. Ambos recebem chantagens de um homem que viu o crime. Essa história é chocante e considerado o primeiro filme falado na Inglaterra.

festim.jpg

Festim Diabólico (Rope – 1948): Bradon (John Dall) e Phillip (Farley Granger) matam um colega de escola para provar que são superiores e que podem cometer um crime perfeito. Colocam o corpo em um baú, depois o faz de mesa com coisas em cima e dão uma festa. Um professor (James Stewart) é o convidado de honra do jantar e, começa a achar tudo muito suspeito.

Gosta do Hitchcock? Obrigada por acompanhar! 

Vinil: Abbey Road / BEDA 16

beatles 5

Sou apaixonadinha por discos, quando encontro lugar para vender fico horas e horas olhando um por um. Muito. Nada mais justo do que compartilhar o Abbey Road, que considero um dos melhores álbuns de todo o universo.

É o penúltimo álbum dos Beatles, porém foi o último a ser gravado e lançado em setembro de 1969. Boatos de que o lado A (6 faixas) era o que agradava a John Lennon e, o B (11 faixas) a Paul McCartney.

Fotografia da capa foi realizada por Ian Macmillan, tirou 6 fotos da banda enquanto andavam na Abbey Road. Na época, algumas pessoas comentavam que Paul McCartney estava morto. Levantaram hipóteses baseada na capa, pois ele era o único com os olhos fechados e descalço.

abbey road 3.jpg

beatles 6

abbey road (outros vinis).jpg

LADO A

1. Come Together

2. Something

3 .Maxwell’s Silver Hammer

4. Oh! Darling

5. Octopus’s Garden

6. I Want You (She’s So Heavy)

LABO B

1. Heres Comes the Sun

2. Because

3. You Never Give Me Your Money

4. Sun King

5. Mean Mr. Mustard

6. Polythene Pam

7. She Came in Through the Bathroom Window

8. Golden Slumbers

9. Carry That Weight

10. The End

11. Her Majesty

beatles 5.jpg

Obrigada por acompanhar!