Um Amor Chamado Disco de Vinil

discos-letras-e-costuras-4

Lembro perfeitamente que no finalzinho da década de 90 tinha um toca-discos na minha casa. Digo com muito orgulho que já tinha uns discos, eram da Eliana e da Xuxa. Passava um bom tempo escutando no horário da tarde.

Acabava o lado A, abria a tampa, pegava o disco, virava, colocava o lado B, fechava a tampa. Acabava o lado B e repetia todo o processo.

Também curtia fita cassete, mas o meu sentimento era mesmo com os discos. Daí que de lá pra cá os CDs dominaram. O tempo passou e continuei tendo um quedinha pelos discos, comprava alguns mesmo sem ter aonde escutar. Juro. Dois anos atrás comprei uma vitrola de mala e meu coraçãozinho bate mais rápido sempre que escuto algum disco.

discos-letras-e-costuras-5

A sensação de “caçar” os discos me deixa com um sorriso de orelha a orelha. Entrar na loja, sentar em um banquinho ou até mesmo no chão para ficar procurando. Admito que levo alguns sustos de vez em quando! O mais recente foi agora em novembro quando encontrei o “The Velvet Underground & Nico”, que possui a capa com uma banana que foi desenhada pelo Andy Warhol.

Compro discos antigos e novos. Os que são lançados atualmente são remasterizados, dependendo do álbum custam muito caro, mas muuuito caro. Os antigos também, podem custar até mais do que um novo, ou seja, nossa conta bancária fica negativa comprando o antigo ou o novo.

Os antigos ainda carregam um passado, pertenceram a outra pessoa que às vezes fizeram questão de colocar o seu nome na capa. Por exemplo, o meu álbum “Flagra” da Rita Lee e Roberto de Carvalho tem escrito “Helena 11/12/82”. Não sei qual motivo fez Helena ter se desfeito desse disco, mas comprei em um sebo e agora ele vai ter mais um capítulo na sua história.

discos-letras-e-costuras-2

discos-letras-e-costuras-3

discos-letras-e-costuras

Você também curte discos? Obrigada por acompanhar!

Facebook / Twitter / Instagram

Anúncios

Publicado por

5 comentários em “Um Amor Chamado Disco de Vinil

  1. OOOOOI

    eu também sou uma sortuda que teve a experiência de presenciar minha casa cheia de vinis e de vê-los tocar. A sonoridade é totalmente diferente, é incrível.
    Infelizmente hoje eu não tenho mais aparelho – e nem vinis – mas seu post me deixou MESMO nostálgica *-*

    beijo
    beinghellz.com

    Curtir

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s